Sobre os assaltos constantes na UFBA

Ultimamente, os assaltos a estudantes têm sido ainda mais freqüentes nas redondezas da UFBA. Já fui assaltado mais de uma vez e sei qual é o sentimento das vítimas.

Nestas horas, peço que vocês reflitam sobre a culpa dos intelectuais nessa situação. Quantas vezes, ao longo da vida, vocês ouviram seres iluminados, na escola, no cursinho pré-vestibular, na universidade, nos grêmios estudantis, na televisão, nos jornais, apregoarem que a criminalidade não deve ser punida? Que a verdadeira culpa em um assalto é do assaltado, por estar “ostentando suas posses” (cf. aqui um exemplo), por simplesmente estar com um celular no bolso?

Quantas vezes vocês ouviram que não devemos prender os criminosos, que não devemos sequer impedir os crimes através de policiamento, pois isso é “oprimir os pobres”? Pergunto: quando você está no ponto de ônibus e é assaltado por ladrões em um carro, com pistolas de 3 mil reais, quem é o pobre? Você, com medo no ponto de ônibus, agora, é um bilionário “que explora o proletariado”?

Quantas vocês vocês ouviram que “a solução para a criminalidade é investir em educação“? Sim, existe uma parcela da criminalidade que pode ser reduzida através de investimentos em educação, mas não toda a criminalidade, pois as pessoas são diferentes entre si e os que aderem ao crime o fazem por motivos diferentes. Além do mais, se vivêssemos em uma sociedade em que não há gastos com educação, isso até poderia ser verdade. Mas não é. Só o orçamento da UFBA ultrapassa 1 bilhão e 300 milhões de reais. Em que isso diminuiu os assaltos ao redor da UFBA?

As pessoas gostam de recitar o slogan “o governo não investe em educação” para explicar os males do país, mas os governos (federal, estaduais e municipais) gastam bilhões de reais em educação, há décadas. E a criminalidade só aumenta, ao invés de diminuir! Você não acha que há alguma coisa de errada com o slogan “a solução é investir em educação“?

Os males do mundo, incluindo a criminalidade, têm causas diversas. Em alguns lugares, pode haver crimes por pouco investimento em educação. Mas no Brasil não! A criminalidade que aumenta exponencialmente no Brasil tem outras causas:

1) O fato de você estar completamente indefeso! O governo tirou das pessoas o seu direito básico, inalienável, milenar, de poder se defender, alegando que o Estatuto do Desarmamento iria diminuir a criminalidade e reduzir o número de crianças “mortas em acidentes”. A criminalidade disparou, o número de acidentes continua o mesmo (afinal, são acidentes, pô!) e o número de mortes, inclusive de crianças, duplicou ou triplicou em algumas regiões, como no Nordeste (justamente a região mais desarmada…). Ninguém precisa, pessoalmente, possuir uma arma para estar seguro, mas o simples fato de que as pessoas não sejam proibidas de ter armas já faz com que os criminosos migrem para crimes menos violentos, sem que as pessoas precisem efetivamente reagir a assaltos.

2) Uma cultura intelectual que justifica e embeleza o crime enquanto criminaliza os cidadãos. Há décadas os intelectuais, nas escolas, universidades e na imprensa, justificam o crime, elevam o crime à categoria de luta política e colocam a culpa da criminalidade ou nas próprias vítimas ou em abstrações como “a sociedade”, “o capitalismo”, “a desigualdade”. Tudo isso é falso. Década após década a pobreza diminui no Brasil, mas a criminalidade aumenta. Países com muito mais pobreza do que o nosso têm criminalidade muito, muito, muito menor.

3) Uma cultura intelectual que criminaliza e hostiliza a polícia. Existe uma diferença enorme entre haver instrumentos legais para punir abusos de policiais e fomentar, continuamente, uma mentira de que a polícia mata pobres e negros por mero gosto. Os nossos policiais (os bons e os ruins, os honestos e os desonestos) são pobres; são, em sua maioria, esmagadoramente pardos e negros. As acusações de “genocídio do povo negro” lançadas contra a polícia não têm o objetivo de salvar vidas de pobres e negros; estes continuam a ser assassinados todos os dias pelos marginais e bandidos. As acusações servem apenas para atiçar ainda mais ou bandidos, colocar a população contra a polícia, colocar os policiais na defensiva. Enquanto isso, é você que morre de medo de andar do ponto de ônibus até a sua casa.

Há outras causas para o aumento exponencial da criminalidade no Brasil? Provavelmente. A disseminação das drogas (que também recebe uma ajudinha de uma cultura intelectual que fomenta o fenômeno) é um delas. Mas essas três estão entre as principais.

Não se iludam: movimentos políticos revolucionários, destes que querem chegar ou se manter no poder “para mudar o mundo”, precisam de insegurança e instabilidade na sociedade. Eles lucram quando a população não se sente segura, pois isso fomenta justamente os sentimentos de que eles se aproveitam para prosperar politicamente. Nenhum movimento político revolucionário lucra com uma sociedade tranquila, em que você possa andar na rua a qualquer hora do dia, da noite ou da madrugada, sem morrer de medo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s