LET-A20: Introdução à semântica – 2017-2 (turma da manhã)

Portaria da UFBA sobre o recesso de Carnaval: aqui.

TURMA DA MANHÃ (para a turma da noite, clique aqui)

ROTEIROS DE AULA:

– Material sobre a aula de 10/01/2018: Outras propriedades semânticas (verbos de percepção; modalidade sentencial): aqui.
– NOVO: Sobre a moralidade em bebês (assunto comentado na aula de 26/01): confiram “Bebês já fazem escolhas morais“.

TEXTOS PARA AS AULAS:

– Aula de 19/01/2018: FERRARI, Lilian. Categorização. In: FERRARI, Lilian. Introdução à lingüística cognitiva. Temas: categorização.
– Aula de 26/01/2018: FERRARI, Lilian. Metáforas e metonímias. In: FERRARI, Lilian. Introdução à lingüística cognitiva. Temas: metáfora e metonímia.

EXERCÍCIOS

– Exercício 01: modalidade e identificação de classes semânticas. Respostas: aqui.
– NOVO: Exercício 02: Metáforas. | Respostas: aguarde.

ATIVIDADES PONTUADAS

Atividade pontuada 01: Fazer fichamento do texto “Categorização” de Lilian Ferrari. A atividade deve ser entregue manuscrita, não digitada. Valor: 2 pontos. Entrega: 26 de janeiro.
Atividade pontuada 02: exercício sobre o texto “Categorização”. Valor: 2,0 pontos. Entrega: até 01 de fevereiro (deixar no escaninho do professor Rerisson, no primeiro andar de Letras).
Atividade pontuada 03: exercício sobre modalidade sentencial e identificação de classes semânticas. Valor: 2,0 pontos. Entrega: até 01 de fevereiro (deixar no escaninho do professor).
Atividade pontuada 04Exercício sobre metáforas e modalidade. Valor: 4,0. Entrega: 16 de fevereiro. Instruções no arquivo.

Recomendações de livros sobre Sociolingüística

1) MOLLICA, Maria Cecília; BRAGA, Maria Luzia. Introdução à sociolingüística: o tratamento da variação. São Paulo: Contexto, 2004.

 

2) TARALLO, Fernando. A pesquisa sociolingüística. São Paulo: Ática, 1985.

 

 

3) LUCCHESI, Dante. Sistema, mudança e linguagem. Lisboa: Colibri, 1998.

Também existe uma edição brasileira pela editora Parábola.

O livro faz um percurso do tratamento da mudança lingüística do estruturalismo à sociolingüística e pode ser considerado um aprofundamento nas duas teorias.

Tem na Biblioteca Central da UFBA. Chamada: 801 L934 (BURMC) e 81’1 L934 (BURMC).

      

 

4) WEINREICH, Uriel; LABOV, William; HERZOG, Marvin I. Fundamentos empíricos para uma teoria da mudança lingüística. São Paulo: Parábola, 2006.

 

 

Recomendações de livros sobre Estruturalismo Lingüístico

1) DUCROT, Oswald. Estruturalismo e Lingüística. São Paulo: Cultrix, 1970.

Tem na Biblioteca Central da UFBA. Chamada: 81-116 D843 (BURMC).

Estruturalismo e lingüística.

 

2) LUCCHESI, Dante. Sistema, mudança e linguagem. Lisboa: Colibri, 1998.

Também existe uma edição brasileira pela editora Parábola.

O livro faz um percurso do tratamento da mudança lingüística do estruturalismo à sociolingüística e pode ser considerado um aprofundamento nas duas teorias.

Tem na Biblioteca Central da UFBA. Chamada: 801 L934 (BURMC) e 81’1 L934 (BURMC).

      

 

3) GUINSBURG, Jacó. Circulo linguistico de Praga. São Paulo, SP : Perspectiva, 1978.

Tem na Biblioteca Central da UFBA. Chamada: 801 C578 (BURMC).

 

LET-A26: Teorias lingüísticas contemporâneas (2017-2)

Portaria da UFBA sobre o recesso de Carnaval: aqui.

Ementa e programa: aqui.

Cronograma: aqui.

ANTES DESTA DISCIPLINA:

– Vídeo: Princípios Gerais da Lingüística.

TEXTOS:

Texto 1. BORGES NETO, José. Diálogo sobre as razões da diversidade teórica na linguística. In: Ensaios de filosofia da linguística.
Texto 2. BORGES NETO, José. De que trata a linguística, afinal? In: Ensaios de filosofia da linguística.
Texto 3. COSTA, Marcos Antonio. Estruturalismo. In: MARTELOTTA, Eduardo. (Org.). Manual de linguística.
Texto 4. KENNEDY, Eduardo. Gerativismo. In: MARTELOTTA, Eduardo. (Org.). Manual de linguística.
Texto 5. CEZARIO, Maria Maura; VOTRE, Sebastião. Sociolinguística. In: MARTELOTTA, Eduardo. (Org.). Manual de linguística.
Texto 6. FURTADO DA CUNHA, Angélica. Funcionalismo. In: MARTELOTTA, Eduardo. (Org.). Manual de linguística.
Texto 7. LOPES, Célia Regina dos Santos. A gramaticalização de a gente em português em tempo real de longa e curta duração.
Texto 8. MARTELOTTA, Mário Eduardo; POLOMANES, Roza. Lingüística cognitiva. In: MARTELOTTA, Eduardo. (Org.). Manual de linguística.
Texto 9. ORLANDI, Eni P. Introdução. In: Análise do discurso.
Texto 10. BENTES, Anna Christina. Linguística textual. In: MUSSALIM, Fernanda; BENTES, Anna Cristina. Introdução à linguística. vol. 1.

EXERCÍCIOS:

– Para aula de 23/01/2018: Exercício de identificação de teorias lingüísticas.

ATIVIDADES PONTUADAS / AVALIAÇÕES:

– Atividade pontuada 01: foi realizada em sala de aula no dia 26 de outubro. Valor: 1,0 ponto.
– Atividade pontuada 02: aqui. Entrega: 30 de novembro. Valor: 1,0 ponto.
– Atividade pontuada 03: fichamento de capítulo de Maquiavel pedagogo. Instruções: aqui. Link para o texto: aqui. Vídeo recomendado: aqui. Entrega: 16 de janeiro. Valor: 1,5 ponto.
– Atividade pontuada 04: fichamento do texto 09 de Eni Orlandi sobre Análise do Discurso. Entrega: 23 de janeiro. Valor: 1,5 ponto.

SEGUNDA PROVA: aqui. Entrega até 16 de fevereiro. Vide instruções no arquivo.

HANDOUTS:

– Bloomfield: Mecanicismo, mentalismo e descritivismo – aqui.
– Sintaxe gerativa: restrições a movimento de constituintes em sentenças interrogativas – aqui.
– Sociolingüística: alguns conceitos – aqui.
– Funcionalismo vs formalismo: aqui.
NOVO: Lingüística Textual: coesão.

SOBRE AS AVALIAÇÕES:

  • Duas avaliações escritas (provas), cada uma com o valor 10,0.
  • Outras atividades/exercícios valendo pontuação menor (ex.: 1,0 ponto, 2,0 pontos; etc).
  • A pontuação de todas as avaliações será somada e dividida pelo valor equivalente a um décimo para gerar a média máxima de 10,0.
  • Ou seja: se houver 5 pontos das avaliações adicionais, temos a soma 10 + 10 + 5 = 25. Para chegar à média máxima de 10,0, será necessário dividir por 2,5. A soma de notas que o aluno obtiver seria, nesse caso, divida por 2,5 para obter a média.

LEITURAS ADICIONAIS:

– Recomendações de livros sobre Estruturalismo lingüístico.

LET-676: Variação social no português do Brasil

Portaria da UFBA sobre o recesso de Carnaval: aqui.

Ementa e programa: aqui.

Cronograma: Primeira metade da disciplina

TEXTOS

Aula 01 (06 de outubro):
– LABOV. A motivação social da mudança sonora. (cap. 1 de Padrões sociolinguísticos)

Aula 02 (20 de outubro):
– SCHERRE, Martha & NARO, Anthony. Variação e mudança linguística: fluxos e contrafluxos na comunidade de fala. Caderno de Estudos Linguísticos, Campinas, v. 20, p. 9-16, jan-jun. 1991.
– DUARTE, Maria Eugenia. Clítico acusativo, pronome lexical e categoria vazia no português brasileiro. In: TARALLO, Fernando. (org). Fotografias sociolinguísticas. Campinas: Vozes/Unicamp, 1989.

Aula 03 (27 de outubro):
– LABOV. A estratificação social do (r) nas lojas de departamento na cidade de Nova York. (cap. 2 de Padrões sociolinguísticos).
– RIBEIRO, Ilza. Quais as faces do português culto brasileiro? In: ALKMIM, T. (org.). Para a história do português brasileiro. vol. III. São Paulo: Humanitas, 2002. p. 359-381.

Observação: A aula 04 deveria ocorrer em 03 de novembro, mas foi adiada para o dia 10.

Aula 04 (17 de novembro):
– LABOV. O isolamento de estilos contextuais. (cap. 3 de Padrões sociolinguísticos)
– LABOV. O reflexo dos processos sociais nas estruturas linguísticas. (cap. 4 de Padrões sociolinguísticos).
– MIRANDA et al. A variação estilística em diferentes situações de leitura: variedade capixaba. Letras de Hoje, Porto Alegre, v. 52, n. 1, p. 68-76, jan.-mar. 2017.

Aula 05 (24 de novembro):
– Minicurso de Morfologia Experimental, com o prof. Andrew Nevins.

Aula 06 (01 de dezembro):
– LABOV. A hipercorreção pela classe média baixa como fator de mudança linguística. (cap. 5 de Padrões sociolinguísticos)
– GUY, Gregory. A identidade lingüística da comunidade de fala: paralelismo interdialetal nos padrões de variação lingüística. Organon, Porto Alegre, v. 14, n. 28-29, s.p., 2000.

Aula 07 (15 de novembro):
– LABOV. Dimensões subjetivas da mudança linguística em progresso. (cap. 6 de Padrões sociolinguísticos)
– LEITE et al. Processos de mudança no português do Brasil: variáveis sociais. In: CASTRO, I.; DUARTE, I. Razões e Emoção. Miscelânea de estudos em homenagem a Maria Helena Mira Mateus. Vol. 1. Lisboa: Imprensa Nacional/Casa da Moeda: 87-114.

Aula 08 (12 de janeiro):
– conclusão da discussão de: LEITE et al. Processos de mudança no português do Brasil: variáveis sociais.
– LABOV. Sobre o mecanismo de mudança linguística. (cap. 7 de Padrões sociolinguísticos).

Aula 09 (19 de janeiro):
– TRESSMANN, Ismael. Bilingüismo no Brasil: o caso da comunidade pomerana de Laranja da Terra. Anais do IX Congresso da Associação dos Estudos da Linguagem. ASSEL-RJ, v. IX, p. 67-79, 1998.

Aula 09 (19 de janeiro):
– MOZZILLO, Isabela. O code switching: fenômeno inerente ao falante bilíngue. Papia, v. 19, p. 185-200, 2009.
– Critérios de transcrição sugeridos: aqui.

 

*************

Observações:

1) A disciplina será dividida em duas parte. A primeira metade será ministrada pelo prof. Rerisson Cavalcante e tratará sobre a sociolinguística laboviana tradicional. A segunda metade será com o prof. Danniel Carvalho e tratará da terceira onda da sociolinguística.

2) Para a primeira metade, leremos sete textos de William Labov do livro “Sociolinguistic Patterns”, além de outros textos sobre questões sociolinguísticas sobre o português. Há uma versão em português do livro, que pode ser encontrada na biblioteca da UFBA ou adquirida em livrarias: Padrões sociolinguísticos na Amazon | na Cultura.

Minicurso: Teoria da Gramática e Dialetologia: uma Introdução

TÍTULO: “Teoria da Gramática e Dialetologia: uma Introdução”.

RESUMO

O minicurso trata da interação entre o arcabouço teórico da gramática gerativa, compreendida como uma teoria das gramáticas das línguas humanas, e as ciências da variação linguística, a dialetologia e a sociolinguística. O modelo de Princípios e Parâmetros permitiu uma interação frutífera do programa de pesquisas gerativista com outras áreas da linguística, como a aquisição da linguagem e as pesquisas histórico-descritivas sobre variação e mudança (cf. DUARTE, 2005; GALVES, 1995). No Brasil, a interação entre gramática gerativa e sociolinguística, conhecida como Sociolinguística Paramétrica, tem sido bastante produtiva. Menos difundidos são os desenvolvimentos da perspectiva microparamétrica (cf. KAYNE, 1996), que trouxeram uma ênfase maior na variação sintática entre dialetos aparentados, como forma de testagem empírica dos parâmetros sintáticos. Essa perspectiva tem trazido uma interação entre a teoria sintática e a dialetologia, inclusive através de construção de atlas linguísticos voltados especificamente para as diferenças sintáticas (cf. BENINCÀ & POLETTO, 2007; BARBIERS et al, 2007; CERUDO, 2015).

SUGESTÕES DE LEITURAS PRÉVIAS:

QUANDO:  De 12 a 14 de setembro de 2018, durante o VI Congresso Internacional de Dialetologia e Sociolinguística, na Universidade Federal da Bahia.

 

LET-A20: Introdução à semântica (2017.2) – noturno

Portaria da UFBA sobre o recesso de Carnaval: aqui.

TURMA DA NOITE (Para os materiais da turma da manhã, clique aqui)

 

ASSUNTOS E TEXTOS
I. Objeto da semântica
– Texto 01: FIORIN, Luiz. Prefácio de Introdução à lingüística – vol. 2 (fragmento). Temas: O que é semântica.
– Texto 02: MULLER, Ana; VIOTTI, Evani. Semântica formal (fragmento do início do texto). In: FIORIN, Luiz. Introdução à lingüística – vol. 2. Temas: Definições e tipos de semântica.
– Texto 03: TAMBA-MECZ, Irene. A semântica ontem e hoje (fragmento). In: TAMBA-MECZ. A semântica. Temas: Definições e tipos de semântica.
– Texto 04: PIRES DE OLIVEIRA, Roberta. A semântica (fragmento). In: MUSSALIN & BENTES. Introdução à lingüística. Temas: Definições e tipos de semântica.
– Texto 05: CANÇADO, Márcia. A investigação do significado (fragmento). In: CANÇADO. Manual de semântica. Temas: Semântica e pragmática; definições, tipos e diferenças.

II. Propriedades e relações semânticas das palavras
– Texto 06: [retirado]
– Texto 07: PIETROFORTE & LOPES. A semântica lexical (fragmento: seções 2 e 3). In: FIORIN, Luiz. Introdução à lingüística – vol. 2. Temas: campo lexical.
– Texto 08: GUIMARÃES, Eduardo; FONTANA, Mônica. Campos lexicais (fragmento: seção 1.2.4). In: GUIMARÃES & FONTANA. A palavra e a frase. Temas: Campo lexical.
– Texto 09: VANOYE, Francis. Linguagem e comunicação (fragmento: seção 1.3.4. Campos semânticos e campos lexicais). In: VANOYE. Usos da linguagem. Temas: Campo lexical.
– Texto 10: ILARI, Rodolfo. Campo lexical (fragmento). In: ILARI. Introdução ao estudo do léxico. Temas: campo lexical.
– Texto 11: PIETROFORTE & LOPES. A semântica lexical (fragmento: a hiperonímia e a hiponímia; a homonímia). In: FIORIN, Luiz. Introdução à lingüística – vol. 2. Temas: hiperonímia, hiponímia,  homonímia.
– Texto 12: ILARI, Rodolfo. Termos genéricos e específicos. In: ILARI. Introdução ao estudo do léxico. Temas: hiperonímia, hiponímia.
– Texto 13: [retirado]
– Texto 14: ILARI, Rodolfo. Polissemia. Homonímia. In: ILARI. Introdução ao estudo do léxico. Temas: polissemia e homonímia.
– Texto 15: VILELA, Mário. Homonímia e polissemia. In: VILELA. Estudos de lexicologia do português. Temas: homonímia e polissemia.
– Texto 16: ILARI, Rodolfo. Sinonímia. Antonímia. In: ILARI. Introdução ao estudo do léxico. Temas: sinonímia e antonímia.
– Texto 17: aqui. PIETROFORTE & LOPES.A semântica lexical (fragmento: seção sinonímia e antonínia). In: FIORIN, Luiz. Introdução à lingüística – vol. 2. Temas: sinonímia e antonímia.
– Texto 18: VILELA, Mário. Sinonímia. Antonímia. In: VILELA. Estudos de lexicologia do português. Temas: sinonímia e antonímia.

III. Propriedades e relações semânticas das sentenças
– Texto 19: A rede de sentenças. Temas: paráfrase, ambiguidade, acarretamento, pressuposição.

IV. Conceptualização e cognição
– Texto 20: FERRARI, Lilian. Categorização. In: FERRARI. Introdução à lingüística cognitiva. Temas: categorização.
– Texto 21: FERRARI, Lilian. Metáforas e metonímias. In: FERRARI. Introdução à lingüística cognitiva. Temas: metáfora e metonímia.

ATIVIDADES PONTUADAS 
– Atividade 01: Redação de capítulo de livro didático. AVISO: Essa atividade valeria, originalmente, 4 pontos. Para manter uma proporção mais justa (já que a atividade é complexa e envolve até reescrita, vou aumentar o valor para 6,0 pontos. Para quem entregou atrasado ainda em dezembro, o valor será de até 5,0 pontos; para quem entregou atrasado em janeiro, de até 4 pontos).
– Atividade 02: exercício sobre propriedades das sentenças. Valor: 2,0. Entrega: 17 de janeiro.
– Atividade 03: exercício sobre o texto Categorização. Valor: 2,0 pontos. Entrega: 24 de janeiro.
– Atividade 04: exercício sobre modalidade sentencial e identificação de classes semânticas. Valor: 1,0 ponto. Entrega: 31 de janeiro. Obs.: baseado na aula do dia 10/01 (confira roteiro/handout de aula ao final da página) e no exercício 04 (com respostas) mais abaixo.

PROVA DO SEMESTRE: aqui. Entregar até 16 de fevereiro. Instruções no arquivo.

Contagem dos pontos de avaliações: 6,0 + 2,0 + 2,0 + 1,0 = 11 pontos de atividades; mais 10 pontos da prova escrita. Total 21 pontos. A média será retirada pela divisão por 2,1.

EXERCÍCIOS 
– Exercício 01: Sinonímia.
– Exercício 02: Hiperonímia e hiponímia.
– Exercício 03: Propriedades semânticas das sentenças.
– Exercício 04: Modalidade sentencial e identificação de propriedades semânticas. Respostas: aqui.
– NOVO: Exercício 05 (para a aula de 31/01): Metáforas. | Respostas: aguarde.

ROTEIROS/HANDOUTS DE AULA
– Aula de 04/10: A semântica entre os níveis de análise da língua.
– Aula de 11/10: Tipos de semântica.
– Aula de 25/10: Semântica lexical: Sinonímia.
Aula de 10/01/2018: Outras propriedades semânticas (verbos de percepção; modalidade sentencial).
– Aula de 10/01/2018: Segunda versão aumentada do material Outras propriedades semânticas (verbos de percepção; modalidade sentencial): aqui.
– NOVO: Sobre a moralidade em bebês (assunto comentado na aula de 24/01): confiram “Bebês já fazem escolhas morais“.