Língua e revolução: a linguagem do nazismo segundo Victor Klemperer

Título: “Língua e revolução: a linguagem do nazismo segundo Victor Klemperer“.

O objetivo é apresentar e discutir os pontos principais da obra “LTI – A linguagem do Terceiro Reich”, do filólogo Capa do livro judeu (convertido ao cristianismo) Victor Klemperer (publicada originalmente em 1947), que descreveu vários aspectos do uso da linguagem na Alemanha durante a ascensão e domínio do Partido Nacional-Socialista. Klemperer aponta a chamada LTI se caracteriza pela pobreza, repetição, monotonia e auto-limitação; que se constitui pela apropriação e mudança do significado de palavras alemães e estrangeiras pré-existentes. Klemperer mostra como essa linguagem formatou o pensamento da sociedade alemã, entrando no linguajar mesmo dos inimigos e das vítimas do nacional-socialismo, que também reproduziam os estereótipos produzidos por ela.

Advertência: Este minicurso não é um manual passo a passo para se identificar “linguagem nazista”; não é um tutorial sobre como patrulhar a fala das outras pessoas para acusá-las de nazismo; não é uma vacina mecânica e automática para tornar você magicamente imune à manipulação pela linguagem.

Arquivos da apresentação: em power point.

Quando: 17 e 18 de maio de 2016; 2030-22 h, durante o SePesq 2016 (Seminário Estudantil de Pesquisa do Instituto de Letras da UFBA).